Arquivo para coração

Sem palavras

Posted in 2011, Descaminhos, Poesia with tags , , , on 08/11/2011 by Stella

Eu quase disse…,

Mas a boca travou.

O coração apertou,

Mas o corpo todo entregou

E o teu olhar confirmou.

Não adianta fugir do sentimento.

∞ ∞ ∞

“Tudo o que cala fala. Mais alto ao coração. Silenciosamente eu te falo com paixão… Eu te amo calado, Como quem ouve uma sinfonia.” (Certas coisas, Lulu Santos)

Tattoo

Posted in 2011, Descaminhos, Poesia with tags , , on 26/09/2011 by Stella

Nosso amor deixa marcas na pele…

E aos poucos você vai tatuando

Seu nome no meu coração.

∞ ∞ ∞

“Quero ficar no teu corpo feito tatuagem que é pra te dar coragem” (Tatuagem, Chico Buarque)

Outra vida

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , , , on 01/07/2011 by Stella

Tenho vontades que não cabem em mim…

Sonhos que me transbordam a alma,

Saudades que não me deixam.

Uma dor desconhecida.

Um olhar perdido no tempo.

Uma esperança que me acompanha.

E um coração que não está nesse mundo.

∞ ∞ ∞

“Talvez não seja nessa vida ainda, mas você ainda vai ser a minha vida…” (Outra vida, Armandinho)

Doces lembranças de um quase amor

Posted in 2009, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , , , on 24/10/2010 by Stella

Chocolate meio amargo,

Traz a lembrança e a saudade

Do teu beijo doce.

O loiro que passa por mim na rua

Lembra promessas de um coração distante.

O céu azul, os olhos que um dia

Fitaram-me com paixão.

∞ ∞ ∞

“Quase um amor. Quase um caminho. Que me deixou quase sozinho e quase que fiquei contente e fui feliz pra sempre.” (Quase, Pato Fu)

Coração de pedra

Posted in 2007, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , on 24/03/2010 by Stella

Dizem que tenho uma pedra no lugar do coração.

Ah, como gostaria que  fosse verdade.

Assim não sentiria esse aperto no peito.

Essa angústia que consome.

Essa dúvida que persiste.

Não saberia o que é o medo de amar,

Nem o de nunca amar.

Não sentiria palpitar.

Em vez de uma pedra,

Queria que meu coração fosse uma rocha

Praticamente inabalável, dura, bruta…

Mas até a maior rocha

Pode ser abalada pela chegada de um terremoto

E o inevitável aconteceria.

Pela brecha aberta

Sentiria o aperto, a angústia, a dúvida, o medo, o palpitar…

E veria que são esses sentimentos

Que fazem a vida ter graça e sentido.

E é só assim que se cresce.

∞ ∞ ∞

“But you’ll never break this heart of stone.” (Heart of Stone, Rolling Stones)