Arquivo para amor

O melhor remédio

Posted in 2011, Descaminhos, Poesia with tags , , , , on 13/11/2011 by Stella

Percorro teus caminhos.

Descubro tuas trilhas.

Sinto tuas cicatrizes.

Trato tuas feridas.

Dou-me em sacrifício…

Pela tua cura.

O amor é o melhor remédio.

Eu, voluntária dedicada.

∞ ∞ ∞

“Quando eu penso em você eu sinto um cheiro de flor. Quando eu penso em você me faz curar de toda dor.” (Cheiro de flor, Natiruts)

Tudo que tenho guardado em mim

Posted in 2011, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , on 11/11/2011 by Stella

Todo meu carinho é pouco, criança.

Dou-te minha compreensão,

Meu companheirismo,

Minha atenção,

Meus sonhos em tuas mãos…

Todo esse tempo de espera é pouco, criança.

Dou-te horas de paixão,

Meu amor,

Minha devoção,

Meus encantos sobre teu colchão…

Tudo que tenho guardado em mim, criança…

Só encontrou sentido em ti.

∞ ∞ ∞

“E todos os beijos mais apaixonados que eu guardei, estão guardados pra você.” (Tudo pra você, Sandy)

Contradição

Posted in 2011, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , , , on 17/08/2011 by Stella
Queria amor e encontrou solidão.
Queria paz e encontrou inquietude.
Queria certezas e encontrou dúvida.
De tudo que queria só encontrou o nada.
Quando aceitou o nada…
Encontrou tudo.

∞ ∞ ∞

“Eu sou uma contradição e foge da minha mão. Fazer com que tudo que eu digo faça algum sentido.” (Memórias, Pitty)

Sem reservas

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , on 27/07/2011 by Stella

Deixa matar minha sede na tua boca;

Meu desejo no teu sexo;

Minha ânsia de amor nos teus braços.

Vem ser feliz agora!

Por que amanhã é um grande ponto de interrogação

que me esmaga sem piedade.

Vem agora, sem reservas…

Deixa eu te dar todo amor que tenho.

Por que guardar comigo é um peso excessivo

que me sufoca o coração.

Vem agora, que sou toda intensa…

E nessa intensidade sou tua

enquanto durar.

∞ ∞ ∞

“Sin engaños, sin mentiras yo me entrego a tu amor sin reservas, sin callar mi devoción te regalo hasta mi vida.” (Por tu amor, Camilo Echeverry)

Affair

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , , on 26/03/2011 by Stella

Sei que não é amor,

Mas te visto assim

Pra me iludir.

Não é tampouco paixão…

É uma fuga.

E nessa ilusão

De amor

Vou fugindo,

Caindo, me enredando

Só por gostar dos

Beijos teus e por medo

Da solidão.

∞ ∞ ∞

“Ai! Que coisa boa… À meia-luz, à sós, à tôa… ” (Caso Sério, Rita Lee)

Gitano

Posted in 2007, Descaminhos with tags , , , , , on 25/06/2010 by Stella

Teus olhos verdes me olham

Durante a dança.

No rodopiar das saias

Nossas mãos se encontram.

Meu amor cigano…

Como seria bom

Te reencontrar…

∞ ∞ ∞

“Oh meu amor, não fique triste. Saudade existe pra quem sabe ter. Minha vida cigana me afastou de você.” (V ida Cigana, Zeca Baleiro)

Meu destino é o amor

Posted in 2007, Descaminhos, Poesia with tags , , , , on 24/03/2010 by Stella

Mora em meu peito de dor

Uma pedra de gelo latente

Mora em meu peito de dor

Um iceberg gigante

Que faz correr em minhas veias

O frio sangue que me faz viver

Tua boca diz que sou gélida

Meu corpo diz o contrário

Há em mim uma chama ardente adormecida

Esperando o momento de despertar

Espero o dia em que minha alma

Brilhará tanto…

Que meu corpo se encherá de alegria

E em minhas veias correrá urgente,

Latente

Um sentimento quente, enérgico, intenso…

E eu serei só Amor…

∞ ∞ ∞

“O que há dentro do meu coração eu tenho guardado pra te dar.” (Um amor puro, Djavan)