Archive for the 2010 Category

Sem reservas

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , on 27/07/2011 by Stella

Deixa matar minha sede na tua boca;

Meu desejo no teu sexo;

Minha ânsia de amor nos teus braços.

Vem ser feliz agora!

Por que amanhã é um grande ponto de interrogação

que me esmaga sem piedade.

Vem agora, sem reservas…

Deixa eu te dar todo amor que tenho.

Por que guardar comigo é um peso excessivo

que me sufoca o coração.

Vem agora, que sou toda intensa…

E nessa intensidade sou tua

enquanto durar.

∞ ∞ ∞

“Sin engaños, sin mentiras yo me entrego a tu amor sin reservas, sin callar mi devoción te regalo hasta mi vida.” (Por tu amor, Camilo Echeverry)

Anúncios

Sem atitude

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , on 04/07/2011 by Stella

Coisinha indecisa é você.

Não sabe se me abraça…

Não sabe se me beija…

Não sabe se me ama…

E eu já nem sei se te quero.

Vendo você aí sentado em cima do muro,

Não sei mais se quero que desça.

Sua falta de vontade

Matou o pouco que eu sentia.

∞ ∞ ∞

“Não há como doer pra decidir. Só dizer sim ou não, mas você adora um se…” (Se, Djavan)

Outra vida

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , , , , , on 01/07/2011 by Stella

Tenho vontades que não cabem em mim…

Sonhos que me transbordam a alma,

Saudades que não me deixam.

Uma dor desconhecida.

Um olhar perdido no tempo.

Uma esperança que me acompanha.

E um coração que não está nesse mundo.

∞ ∞ ∞

“Talvez não seja nessa vida ainda, mas você ainda vai ser a minha vida…” (Outra vida, Armandinho)

Prece

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia on 27/06/2011 by Stella

A solitude é minha aliada.

Protege esse coração sofrido.

Protege essa mente perturbada.

Enquanto estou comigo

Mantenho-me a salvo.

Meu coração em trégua.

Amém!

∞ ∞ ∞

“Senza di te me ne sto in beata solitudine… Adesso che ho imparato l’arte del saper vivere… Spremo fino in fondo il frutto della libertà” (Beata Solitudine, Eros Ramazzotti)

Conexão

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , on 24/06/2011 by Stella

Sinto algo de paz quando me vejo parte do todo.

Da folha que dança ao vento.

Da flor que desabrocha e perfuma.

Do canto dos pássaros.

Do firmamento sobre nossas cabeças.

Do cheiro de pão novo que vem da padaria.

Da dor do irmão que cata lixo para viver.

Do olhar cúmplice e cheio de promessas do jovem casal de namorados.

Dos segredos partilhados durante a longa caminhada de um casal de mais idade.

Do riso das crianças e da algazarra dos adolescentes a caminho da escola.

Do barulho dos carros e do andar apressado da moça que vai para o trabalho.

A sua alegria é a minha alegria.

A sua dor também.

Somos todos um!

∞∞∞

“Somos todos filhos da terra. E todos somos um.” (Todos Somos Um, Chimarruts)

Divisão silábica

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , on 20/06/2011 by Stella

Es-sa sou eu…

Ou pe-lo me-nos

Par-te de mim…

A par-te in-ten-sa.

A par-te tô-ni-ca.

O res-to é pre-tô-ni-ca

Ou pos-tô-ni-ca,

Mas ain-da par-te

De mim.

∞ ∞ ∞

“Não me acalme com silabas doces. Hoje eu quero o açoite das palavras rudes pra que eu possa me defender em atitudes.” (Depois do perigo, Zélia Duncan)

Compasso a dois

Posted in 2010, Descaminhos, Poesia with tags , , , , on 17/06/2011 by Stella

Minhas mãos dedilham teu corpo…

Nessa pauta me demoro – Deleite

Entre pulsos e repousos

Nos perdemos um no outro

Procurando o nosso ritmo.

Gemidos em uníssono.

Melodia plena. Harmonia 10!

∞ ∞ ∞

“Revirando os olhos e o tapete… Suspirando em falsete… Coisas que eu nem sei contar…” (Paixão, Kleiton e Kledir)